No começo desta semana, a GoPro lançou um vídeo que apresenta a cozinheira autodidata Christine Ha. Christine mora com seu marido John em Houston, no Texas, e há poucas semanas abriu um restaurante chamado The Blind Goat (A Cabra Cega). Em termos culinários, Christine ficou famosa entre os gourmets após vencer a terceira temporada do MasterChef, onde também ficou conhecida como a "Cozinheira Cega". É um apelido que ela usa com orgulho, tendo sido a primeira cozinheira cega a competir no reality show culinário. Antes de completar trinta anos, Christine Ha foi diagnosticada com uma doença autoimune que a levou a perder a visão, mas essa é apenas uma parte da sua história.

"Sou uma pessoa muito independente por natureza, porque sou filha única e perdi minha mãe ainda bem nova, aos 14 anos. Tive que crescer muito rápido", conta a cozinheira. Isso contribuiu para que Christine desenvolvesse uma motivação intensa, quase obstinada, que ela atribui ao caráter de sua mãe, uma refugiada vietnamita que sempre "insistia na importância de nunca desistir e de trabalhar duro para conquistar o que você quer".

"Perder minha mãe me ensinou que você não pode depender sempre do apoio de outras pessoas, que é preciso aprender a fazer as coisas sozinha."

Quando Christine começou a perder a visão aos vinte anos, ficou temporariamente paralisada aos 23 e, aos 27, foi diagnosticada com uma doença autoimune que transformou sua vida, sua natureza destemida e independente fez pulsar a vontade de superação. Esse foi o início do caminho que levou Christine a se tornar a "Cozinheira Cega".

"É preciso ter coragem, porque muitas vezes tememos o risco, e eu mesma sou muito cautelosa, mas sinto que as maiores recompensas vêm na esteira dos maiores riscos. Acredito que perder a visão me ensinou isso", afirma Christine. A título de exemplo, ela acrescenta que nunca havia feito snowboarding antes de perder a visão. "Você tem que repetir a mesma coisa quantas vezes forem necessárias, até vencer o medo. Acho que isso constrói determinação e possibilita viver a vida plenamente".

Para Christine, esse processo incluiu recuperar sua alegria em cozinhar, uma habilidade que ela aprendeu na faculdade. "Foi um modo de sobrevivência", para ser franca, mas se tornou muito mais que isso.

Ela conta que sempre recordará o primeiro jantar que preparou para os amigos, ficando surpreendida ao perceber que o destino da refeição não foi a lata do lixo. Era um frango refogado com gengibre, uma receita escolhida por ter poucos ingredientes e instruções de preparo simples.

"Para eles, tratava-se de alimento e nutrição, mas também era algo que reunia todos à mesa. No início, foi isso que despertou a alegria que me levou a cozinhar", conta Christine. "Eu tinha uma satisfação muito grande em criar uma coisa com minhas próprias mãos e compartilhar com outras pessoas que se deliciavam com aquilo."

Depois, quando Christine foi diagnosticada com Neuromielite Óptica (NMO), a recuperação dessa habilidade aconteceu passo a passo: comendo bolachas com queijo, fazendo um experimento de sanduíche, preparando ovos mexidos, assando uma pizza congelada, até, finalmente, voltar a usar uma faca.

Março de 2019 é o marco de um novo capítulo na história de Christine. É o mês da abertura do The Blind Goat. É tentador imaginar que "goat", no nome do restaurante, seria uma sigla que representa o "Melhor de todos os tempos" ("Greatest Of All Time", em inglês), mas na verdade se trata de uma brincadeira com suas raízes vietnamitas, já que Christine nasceu no ano da cabra.

A Cozinheira Cega abrirá oficialmente o The Blind Goat na primeira praça de alimentação imersiva de Houston, a Bravery Chef Hall, no primeiro semestre deste ano. Até lá, siga Christine em @TheBlindCook e em theblindcook.com.