A GoPro sempre tem interesse em participar de histórias relacionadas a tubarões. E nos últimos anos, participamos de várias. Histórias como a de Ocean Ramsey, que nadou livremente com tubarões-brancos, e a de Jeb Corliss e Roberta Mancino, que registraram as criaturas marinhas em RV imersiva. Com o encerramento da Shark Week 2018, queremos contar uma história que envolve nossas pequenas amiguinhas, as ostras.

Elas são iguarias apreciadas em todo o mundo, e sua produção tem aumentado muito nos Estados Unidos. Na costa do Atlântico, os produtores cultivam as ostras em gaiolas grandes e verticais abaixo da superfície. Essas gaiolas são empilhadas umas sobre as outras com o intuito de usar com mais eficiência o espaço no leito do mar e, ao mesmo tempo, proteger esse vulnerável molusco contra predadores. De acordo com os produtores locais, além de manterem as ostras seguras, as gaiolas também ajudam outras criaturas marinhas. A Administração Oceânica e Atmosférica Nacional (NOAA, na sigla em inglês) dos Estados Unidos demonstrou interesse e está usando câmeras GoPro para coletar dados com o objetivo de corroborar essa hipótese.

Dessa forma, a equipe do Milford Laboratory da NOAA colocou uma GoPro na gaiola de ostras como uma maneira de observar como a vida marinha interage com a infraestrutura de aquacultura. Emparelhando uma GoPro HERO3+ com um controlador de lapso de tempo Cam Do Blink e o Filtro de mergulho em águas verdes da GoPro, a equipe gravou vídeos de 8 minutos, de hora em hora, por 12 horas. Após cada dia de coleta do conteúdo, um membro da equipe de observação "classifica" o vídeo, registrando a presença de peixes das espécies Centropristis striata, Tautogolabrus adspersus, Tautoga onitis e Stenotomus chrysops nas imagens.

Até o momento, as imagens revelaram sinais de peixes em vários estágios utilizando as gaiolas. Os adultos usam as estruturas para acasalamento, enquanto os mais novos as usam como abrigo.

"Os vídeos gravados com as câmeras GoPro foram um meio inovador e barato de observar o comportamento dos peixes, o que nos ajudará a entender melhor como esses animais usam as gaiolas de ostras para encontrar alimento, abrigo e habitat", afirmou Renee Mercaldo-Allen, que colidera o projeto.

Se as pesquisas da NOAA indicarem que esse habitat vertical para ostras ajuda a vida marinha da região, a prática poderá se expandir, o que significará mais ostras nos nossos pratos... e mais abrigo para nossos amigos peixes.

A incrível equipe de pesquisa da NOAA, composta por Paul Clark, Mark Dixon, Erick Estela, Yuan Liu, Lisa Milke, Renee Mercaldo-Allen, Gillian Phillips, Jerry Prezioso, Dylan Redman, Julie M. Rose e Barry Smith, merece os parabéns pela inovação no mar com a GoPro.